Alimentação da criança em idade escolar

6 de outubro de 2018

Alimentação do escolar

– Escolar tem ritmo de crescimento mais constante que o pré-escolar, com ganho mais acentuado de peso próximo ao estirão da adolescência. Forma mais laços sociais, e está mais sujeito a influencia social na alimentação, com crescente independência dos pais. Em geral deve ter intensa atividade física: fundamental vigiar e limitar tempo de tela. Dois pólos extremos nessa faixa etária: a criança que “não come” e parece “muito magrinha”, e a criança com sobrepeso/ obesidade. A resposta e envolvimento dos pais são bastante variados em ambas as situações.

– Em geral nesse período criança come mais fora de casa, o que leva a maior risco de comportamentos alimentares de risco: consumo de refrigerantes/ bebidas fosfatadas, consumo de “fast food”, substituição de refeições por lanches. Risco aumentado de obesidade e doenças crônicas já relacionadas a vida adulta.

– Alto risco de deficiência de cálcio e vitamina D: erro alimentar e falta de exposição solar: risco de retardo de crescimento, doenças autoimunes, cânceres, fraturas e desenvolvimento de osteoporose na vida adulta. Muitas vezes criança não faz qualquer atividade em céu aberto e não toma leite.

– Há nessa idade já risco de restrição alimentar excessiva no caso de ganho de peso excessivo em detrimento de educação alimentar, já com risco de desenvolvimento de transtornos alimentares como anorexia e bulimia nervosa, por preocupação excessiva/ mal conduzida com ganho de peso – abordagem deve ser precoce!

– Esquema alimentar deve ser composto por 5 refeições diárias: café da manha, almoço, janta, lanche no meio da manhã, e lanche da tarde.

– 3-4 porções de verduras e legumes por dia, 3 porções de frutas igualmente, ao menos 1 porção de leguminosa por dia.

– O departamento de nutrologia da Sociedade Brasileira de pediatria tem ilustração interessande da pirâmide alimentar do manual de alimentação da criança, com boa explicação da quantidade de alimento que equivale a uma porção e recomendações para cada faixa etária. Vale conferir e recomendar para os pais:http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/14297e1-cartaz_Piramide.pdf

– Não exceder carboidratos simples: é muito comum que pais na tentativa de forçar “alguma alimentação”, com a preocupação de que “a criança não come nada” ofereçam alimentos nutricionalmente pobres, alimentando comportamentos inapropriados tanto do ponto de vista nutricional como comportamental (a criança é recompensada pela sua recusa de alimentos saudáveis)

 

PRECEITOS DA ALIEMNTAÇÃO DO ESCOLAR

– Autonomia limitada: criança deve se servir, supervisionada.

– Respeitar as 5 refeições diárias, com intervalos apropriados.

– Evitar sucos.

– Estimular consumo de peixes.

– Controlar ingestão de sal (5g dia).

– Evitar molhos prontos: muito óleo e muito sal.

– Açúcares refinados/doce: 1 porção/dia. Mínima.

– Consumo apropriado de cálcio. Recomendação: 1000mg/dia para crianças de 4 a 8 anos.

– Recomendações de vitamina D:  600UI/dia.