Como orientar: Ordenha e Conservação do Leite Materno

3 de maio de 2017

– É fundamental informar e reforçar para a mãe/nutriz que o processo não é prejudicial e que auxilia de forma importante na manutenção da lactação.

– A ordenha pode ser realizada de forma manual ou com o uso de bombas manuais ou elétricas. Há quem considere mais fácil a utilização de bombas elétricas, mas qualquer um dos métodos pode ser realizado de forma adequada com sucesso.

– O mais fisiológico seria retirada no horário em que o lactente estaria amamentando – isso costuma ser realizado em situações de hospitalização em que o lactente tenha contra-indicação a dieta oral e esteja recebendo alimentação por SNG/SNE. Quando o lactente está sendo amamentado regularmente, a ordenha deve ser realizada logo após a mamada, ou até 1 a 2 horas após – se inicialmente não for possível.

– O leite deve ser armazenado em frascos ou mamadeiras de plástico rígido ou vidro após esterilização destes idealmente com esterilizadores, ou alternativamente, através de fervura.

– As porções armazenadas devem ser individuais por processo de ordenha e para posterior utilização – não se deve acrescentar leite ordenhado nas mamadeiras já armazenadas. As porções devem ser datadas com dia e horário, imediatamente resfriadas em torneira com água fria ou recipiente com água e gelo, e armazenadas (pode permancer em temperatura ambiente de até 25C no máximo 4 horas):

Local Temperatura Tempo Máximo
Geladeira

 

2 a 8 °C 24 horas
Freezer  – 15 a – 18 °C 15 dias

– Se pasteurizado, o leite pode ser armazenado por mais tempo, mas isso não é realizado residencialmente, apenas em bancos de leite de maternidades.

– Para o descongelamento, o ideal é colocar inicialmente na geladeira. Se necessário uso imediato, pode ser realizado descongelamento em banho-maria.

– Após descongelado, o consumo deve ser realizado em até 24 horas se armazenado em geladeira ou em 8 horas se permanecer em temperatura ambiente.

– O aquecimento deve ser realizado em banho-maria. Não deve-se ferver o leite. Em caso de sobra, deve ser desprezado, não podendo ser a mesma reutilizada.