Medicamentos em Pediatria (em expansão)

Acetato de Tocoferol (Vitamina E)

Suplementação e proflaxia estão recomendadas quando necessidades aumentadas de vitamina E (ex. regimes com com sobrecarga de ácidosgraxos poli-insaturados) ou quando risco de carência de vitamina E, devido a distúrbio de absorção (ex. síndrome colestáticas)
Indicação terapêutica em distúrbios específicos: abetalipoproteinemia, alguma doenças hematológicas hereditárias, dislipoproteinemia, dentre outros.

Dose recomendada profilática para crianças é de 2 a 4 gotas/dia (fura-se a capsula e administra-se as gotas) ou 1 capsula a cada 4 dias. Terapeuticamente a dose recomendada pode ser maior: 1 capsula a cada 2 dias, ou diariamente. Para ajuste/ monitorização, a vitamina E pode ser dosada (não disponível no SUS).

Acetilcisteína

Mucolítico com variadas indicações, sendo a principal seu uso em bronquites agudas ou crônicas. Também é usado na intoxicação por acetominofeno/ paracetamol.

Dose em bronquites:
Crianças maiores de 2 anos: 200mg, VO, 2-3 vezes/dia; Injetável: 300mg, IM, 1-2 vezes/dia.
Fibrocístico usa dose mais elevada: 600 mg, 2x/dia.

Xarope pediátrico:
Até 3 meses /20 mg (1 mL)/ 3 vezes ao dia
3 a 6 meses/ 50 mg (2,5 mL)/ 2 vezes ao dia
6 a 12 meses/ 50 mg (2,5 mL)/ 3 vezes ao dia
1 a 4 anos /100 mg (5 mL ou 1 envelope de granulado)/ 2 a 3 vezes ao dia ou

Intoxicação por acetaminofeno:
* ataque de
140mg/kg via oral, seguido de 70mg/kg, a cada 4h por 17 doses;
* endovenoso quando não tolerado vi oral ou sangramento/obstrução GI: ataque de 150mg/kg, EV em 1h, a seguir 50mg/kg, EV em 4h, seguidos por 100mg/kg, EV em 16h.
300mg/kg/21h).

Preparo da solução endovenosa: 250mL de SF ou SG 5%. Estabilidade das
ampolas abertas de 24h (refrigeradas 2–8ºC).

Não deve ser administrado a pacientes com úlcera gastroduodenal.
Deve ser realizado controle periódico de função hepática.

Apresentações:
* Fluimucil xarope pediátrico 20 mg/mL
* Fluimucil oral – 200mg/envelope 5g
* Fluimucil 10% injetável – 100mg/mL (ampola 3mL)
* Fluimucil D oral – 600mg/envelope 5g

Aciclovir

Apresentações: 200mg/comprimido, 400mg/comprimido, injetável – 250mg/frasco, creme 50mg/g (bisnaga 10g), suspensão oral 80 mg/ml

Tratamento herpes simples grave: HSV mucocutâneo disseminado em paciente imunodeprimido: 750mg/m2 /dia ou 15mg/kg/dia, EV, 8/8h por 5-10 dias; encefalite herpética: 1500mg/m2 /dia ou 30mg/kg/dia, EV, 8/8h

Creme para herpes oral ou zoster cutâneo: deve ser aplicado 5 vezes/dia (aproximadamente a cada 4h), não é necessária a aplicação noturna. 5 dias ou a critério médico.

Varicela em paciente imunossuprimido: 10-20mg/kg/dose, VO, 6/6h por 5 dias (máx. 800mg/dia) ou 1500mg/m2/dia (ou 10mg/kg/dose), EV, 8/8h por 7 dias.

Herpes zoster em pacientes imunocomprometidos: 10mg/kg/dose, EV, ou 500mg/m2 /dose, EV, 8/8h.

Dose precisa ser ajustada na Insuficiência renal***

Adenosina

Apresentação: 3 mg/ml.
Dose de 0.1 mg/kg, máximo 6 mg para primeira dose.
Segunda dose 0.2 mg/kg, máximo 12 mg na segunda dose.
Meia vida extramente curta - Flush de 5mL de soro fisiológico após.

Adrenalina = Epinefrina

Na anafilaxia: 0.01 mg/kg, intra-muscular, em músculo vasto lateral da coxa. Na anafilaxia é administrado puro (na apresentação da ampola "1:1000" = 1 mg/ml). Dose máxima de 0.3 ml para crianças e 0.5 ml para adolescentes/adultos. Dose de 0.01 mL/kg/dose: pode ser usada regra prática de 0..1 mL para menores de 10 kg, 0,2 mL para 10-20 kg, e 0,3 mL para > 20 Kg.

Na parada cardiorrespiratória é usado DILUÍDO ("1:10.000") - 1 ml (=1mg) diluído em 9 mL de soro fisiológico: essa solução é administrada na dose de 0,1 mL/kg (correspondendo a dose de 0.01mg/kg), endovenoso ou intra-ósseo, repetido a cada 3 a 5 minutos.
Alternativamente, na falta de acesso ou IO, pode ser administrada uma dose via cânula oro-traqueal, 0,1 mL/kg, da solução PURA ("1:1000").

Endovenoso contínuo, em choque hipotensivo refratário a volume; 0.1 a 1 mcg/kg/minuto, EV ou IO.

Inalação na laringite/ Crupe: 0,5 mL/kg, até máximo de 5mL. (mínimo para uso do inalador 3mL)

Amiodarona

Via oral: 10 a 15 mg/kg/dia, 2x/dia.
Endovenoso em Taquicardia ventricular com pulso e sem comprometimento sistemico: 5 mg/kg (máximo 300 mg), em 60 minutos, pode ser repetido até dose cumulativa máxima de 30 mg/kg.

Endovenoso na parada cardiorrespiratória (FV/TV sem pulso): 5 mg/kg, em bolus, máximo 3 vezes.

Anlodipino

0.1 a 0.6 mg/kg/dia. Via oral. Uma vez ao dia, ou eventualmente de 12/12 horas. Dose máxima: 10 mg/dia.
Apresentação: comprimidos de 5 e 10 mg. Algumas apresentações de 2.5 mg*. Muitas apresentações em combinação com outros anti-hipertensivos (uso adulto)
Nomes comerciais (Anlodipino isoladamente): Amlodil, Amlocor, Anlodibal, Cordarex*, Norvasc, Novanlo*, Pressat*, Roxflan, Tensaliv.

Axetil-cefuroxima

30 a 40 mg/kg dia, via oral, dividida em 2 doses diárias (12/12h). Dose máxima de 1g/dia. Cefalosporina de segunda geração.

Apresentação: pó para suspensão oral 250 mg/5ml (frascos de 50 e 70 ml), comprimidos revestidos 250 mg, comprimidos revestidos 250 mg, comprimidos revestidos 500 mg.
Problema da solução é ter o gosto muito ruim, por isso muitas vezes não é tolerado. Dica: pode ser diluído em pequena quantidade de groselha ou leite condensado.

Atenção: diferença de dose via oral (axetil-cefuroxima) x via endovenosa (cefuroxima - ver abaixo)
Nome comercial: Zinnat.

Bicarbonato de sódio

Apresentações: 3% (0,236 mEq/ mL); 5% (0,595 mEq/ mL); 7,5% (0,892 mEq/ mL); 8,4% (1 mEq/ mL); 10% (1,190 mEq/ mL).

Na parada cardiorrespiratória, 0.5 a 1 mEq/kg, endovenoso (usada a solução de 8,4% = 1mEq/ml), em bolus.

Na acidose metabólica, deve ser corrigido, somente em casos muito selecionados. Literatura é muito controversa, TEM QUE TRATAR A CAUSA DE BASE!

Pode-se realizar correção em pH <7,1, de acordo com gasometria, conforme a fórmula de correção, considerando-se o peso em Kg: (15-Bic atual)x 0.3 x peso. Para alcalinização urinária (indicações específicas): 2 a 5 mEq por kg de peso, no período de 4 a 8 horas. Deve ser infundido diluído e lento, há risco de necrose tecidual importante se extravasamento na infusão (pode levar a necessidade de amputação de membro). Na forma EV intermitente: sistema fechado de 250 mL.

Cefalexina

25 a 100 mg/kg dia, via oral, dividida em 4 doses diárias (6/6h), máximo 4 g/dia. Em teoria: Para faringites estreptocócicas, em pacientes maiores de um ano de idade, infecções do trato urinário não complicadas, e infecções não graves de pele e subcutâneo, a dose diária total pode ser fracionada e administrada a cada 12 horas. Doses mais elevadas (75 a 100 mg/kg) para infecções mais graves.

Apresentação: pó para suspensão oral 100mg/ml (500mg/5ml), pó para suspensão oral 250mg/5ml, pó para suspensão oral 125mg/5ml, cápsula de 500 mg, comprimido de 500 mg, drágea de 1 g.

Nomes comerciais: cefalexol, cafanal, cefanid, Keflaxina, Keflex, Keforal, Lexin, Lexiri, Uni Cefalexin.

Cafazolina

Até 100mg/kg/dia, via endovenosa (ou intramuscular), dividida em 3 ou 4 doses diárias (6/6h ou 8/8h), dose máxima de 6g/dia (2g/dose).
Principal uso é para profilaxia cirúrgica, em dose única nessa situação. Cefalosporina de primeira geração.
Nomes comerciais: Kefazol, Ceftrat, Cellozina, Fazolon.

Cetirizina

De 6 meses aos 2 anos – 2,5 mg, 1x/dia;
De 2 a 5anos – 5 mg, 1x/dia;
6 anos e acima – 10 mg, 1xdia.

Apresentações: Solução oral pediátrica: 1 mg/ml; comprimidos: 10 mg.

Cefuroxima

150 mg/kg/dia, 8/8 h (ou seja 50 mg/kg/dose).
Dose máxima: 6 g/dia.
Endovenoso. Pode ser administrado intramuscular, embora não seja prática em muitos serviços.
Reconstituído em 3 ou 10 mL de água destilada.
Para uso IM: diluir em 3 mL, não administrar mais que 750 mg por região muscular.

Nomes comerciais: Keroxime, Monocef, Zinacef.

DDAVP

No diabetes insipidus central: iniciar com dose baixa e aumentar progressivamente.
Oral: 100 - 1200 mcg
Intranasal: 2-40 mcg
Endovenoso: 0.1 a 1 mcg
Meia vida: 3,5 h. Efeito por 6-18h.
Alvo: diminuição da diurese e diminuição do sódio sérico.

Desloratadina

Dos 6 meses aos 2 anos – 1 mg, 1x/dia;
De 2 a 5anos – 1,25 mg, 1x/dia;
De 6 a 11 anos – 2,5 mg, 1xdia;
12 anos e acima – 5 mg, 1x/dia.

Apresentações: Solução oral pediátrica: 0,5 mg/ml; comprimidos: 5 mg.

Difenidramina

Dose de 0.5 a 1.25 mg/kg/dose, IV ou IM, até de 6/6 horas. Dose máxima: 300 mg/dia.
Ampola de 50 mg/ml. Pode ser administrado puro ou diluído em SF ou SG5%.

Dipirona

10 a 25 mg/kg dia, via oral ou endovenosa ou intramuscular, dividida em 4 doses diárias (6/6h), máximo 4 g/dia.
Quantidade administrada depende da apresentação: 1 gota/kg/dose (até 20 ou 40 gotas) da solução oral gotas 500 mg/ml, 0,5 ml/kg/dose (até 10 ou 20 mL)da solução oral de 50 mg/ml, 0,05 a 0,1 ml/kg (até 1 ou 2 mL) da solução injetável. Dose máxima de 4 g/dia.

Evitar/ não administrar em menores de 3 meses de idade/ menores de 5 kg.

Nomes comerciais: Algirona, Anador, Difebril, Doralex, Dorilan, magnopurol, maxalgina, maxiliv, novalgina.

Além disso, presente em inúmero medicamentos compostos! Anaflex, Apracur, Atroveran, Benegrip, Bioflex, Buscopan composto, Buscoveran composto, CAFILisador, Cefaliv, Dexalgen, Doralgina, Dorflex, Doridina, Enxak, Espafin composto, Espasmodid composto, Etaveran, Flexdor, Hiospan composto, Mionevrix, Neosaldina, Neralgyn, Nogripe, Royflex, Sedalene, Sedalex, Sedalgina, Tropinal,...

Apresentação: solução oral gotas 500 mg/ml (1mL=20 gotas), solução oral de 50 mg/ml (algumas com sabor, com seringa dosadora), comprimidos 500mg e 1 g (podendo ser efervescente), solução injetável 500 mg/ml.

Fexofenadina

Dos 6 meses aos 2 anos – 15 mg, 2x/dia;
De 2 a 5anos – 30 mg, 2x/dia;
De 6 a 11 anos – 30 mg, 2xdia;
12 anos e acima – 180 mg, 1x/dia.

Apresentações: Solução oral pediátrica: 6 mg/ml; Comprimidos: 60 mg, 120 mg, 180 mg.

Furosemida

Usada em contextos específicos de sobrecarga e má distribuição de fluidos.
0.5 a 1 mg/kg/ dose, a cada 6-12 h.
Via oral, ou endovenoso.
Dose máxima: 20 mg/dose ou 40 mg/dia em pediatria (em adulto até 80 mg/dia).
Monitorar: hipocalemia, aumento de ácido úrico, hipercalciúria, hiponatremia.

Hidrato de Cloral

30-80 mg/kg/dose.
Dose máxima: 500 mg? 750 mg? 1g? (controverso)
Via oral ou via retal.
Hipnótico com mecanismo de ação desconhecido.
Pouco disponível atualmente.

Hidrocortisona

Ação glico- e mineralocorticoide.

Dose na hipoglicemia neonatal: 10 mg/kg/dia, de 12/12h.
Dose pediátrica: 1 a 5 mg/kg/dia, em IV, de 6/6 ou 12/12h.

Apresentação: Frasco-ampola 100 e 500 mg

Hidroxizine

2 mg/kg/dia. Via oral.
6/6 horas (0.5 mg/kg/dose) ou 8/8 horas.
Xarope de 2 mg/ml x Comprimidos de 25 mg.
Máximo 25 mg/dose (1 cp).

Loratadina

De 2 a 5anos: 5 mg 1x/dia,
6 anos e acima: 10 mg 1xdia.

Apresentações:
Solução oral pediátrica: 1 mg/ml.
Comprimidos: 10 mg.

Omeprazol

1 a 3 mg/kg/dose. Via oral ou endovenoso.
1 vez ao dia ou de 12/12 horas.

Apresentações: cápsulas 10 e 20 mg, Comprimidos revestidos 10, 20 e 40 mg, Frasco-ampola de 40 mg.

Para crianças menores uma opção é diluir o Losec mups (R), em água e administrar dose proporcional para lactentes, com cuidado, para não espremer os granulos; embora de acordo com a bula a medicação, possa ser usada apenas para pacientes maiores que 10 Kg, na prática é usado para lactentes do DRGE.

Oseltamivir

Via oral. 1 capsula tem 75 mg.
Orientação da diluição: diluir 1 capsula (75 mg) em 7,5 mL de água fervida ou filtrada. Cuidado: não deixar pós não dissolvido no fundo do copo.
Orientações com ilustração em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/02014CIEVS/DLUICAO_TAMIFLU.pdf

MENORES DE 1 ANO:
Menores de 3 meses: 12 mg/dose = 1,2 ml da solução de diluição.
De 3 a 5 meses: 20 mg/dose = 2 ml da solução de diluição.
De 6 a 11 meses: 25 mg/dose = 2,5 ml da solução de diluição.

MAIORES DE 1 ANO:
Para menores de 15 kg: 30 mg/dose= 3 ml da solução de diluição.
De 15 a 23 Kg: 45 mg/dose= 4,5 ml da solução de diluição.
De 23 a 40 Kg: 60 mg/dose= 6 ml da solução de diluição.
Maiores de 40 Kg: 75 mg/dose= 7,5 ml da solução de diluição. Ou Criança pode engolir a capsula se conseguir.

1 dose de 12/12 horas por 5 dias. Se paciente imunocomprometido: 10 dias.

Paracetamol

15 mg (1 gota)/ kg/dose, via oral, 6/6 horas. Máximo 500 mg/dose (33 gotas). Dose pode eventualmente ser dobrada para 1 g/dose - exceção em pediatria. Não ultrapassar 4 g/dia.

Penicilina cristalina

Posologia mais habitual é a de 200.000 Unidades/kg/dia, via endovenosa, dividida em 4 doses diárias (6/6h), indicada no tratamento de pneumonia da comunidade por exemplo,mas a posologia e intervalo variam conforme tipo e severidade da infecção. Dose máxima de 5.000.000 U/dia. Deve ser administrada de forma lenta, diluída em soro fisiológico na concentração de 500 a 10.000 U/mL.

Sulfato de Magnésio

Uso no estado de mal asmático, refratário: 25- 75 mg/kg/ dose, até o máximo de 2g/dose. Em 20 a 30 minutos.

Na hipomagnesemia grave e no Tosade de pointes: 25 a 50 mg/kg/dose (também até o máximo 2g/dose)

Em geral é usado o sulfato de magnésio a 20% (1.6 mEq/ml) = 20 g/ 100 mL = 200 mg/ml.

Deve ser diluído em uma concentração de 60 mg/mL, administrado lentamento. Risco de hipotensão na infusão.

Tramadol

1 mg/kg/dose. Via oral ou endovenoso.
Dose máxima: 50 mg/dose.

Atenção: FDA fez alerta quanto a efeitos colaterais e restrição de uso dessa medicação.
Ver: https://novapediatria.com.br/em-pediatria-nem-codeina-nem-tramadol/