Pediculose capilar/ “piolho”

10 de abril de 2018

PEDICULOSE CAPILAR/ “PIOLHO”

 

  • O agente é o parasita Pediculus humanus capitis. O diagnóstico em geral não impõe dificuldades: na maioria dos casos a queixa de que a criança está com piolho já é trazida diretamente pelos pais/ cuidadores, que geralmente viausalizam lêndeas no couro cabeludo. Existe certo preconceito atribuído ao diagnóstico, porém sabe-se que a pediculose acomete crianças em todas as classes sociais e que a prática de higiene dos cabelos, mesmo que adequada não previne nem elimina a infestação (piolhos resistem a cosméticos habituais de higiene capilar e a água quente do banho).
  •  As infestações podem se tornar maciças se não tratadas, pois o piolho vive de 4-6 semanas, período em que deposita até 150 ovos/lêndeas. Os ovos que vingam são aqueles que ficam próximos a raiz do cabelo, pois parasita precisa perfurar o couro cabeludo para sua alimentação.
  • Diferente do que se pensa, piolhos não “voam” nem “pulam”: a transmissão é realizada por contato direto ou indireto.  Pode ocorrer surtos em creches ou escolas.
  • Tratamento tópico com deltametrina, permetrina, monossulfiram ou lindano e benzoato de benzila. Os mais usados são os dois primeiros (deltametrina e permetrina). A deltametrina deve ser usada por 04 dias consecutivos. A permetrina é muitas vezes preferida por ter importante atividade residual. Está disponível na forma de loção de permetrina a 5% ou xampu a 1% (melhores resultados com a loção) – uso em dose única, ou se persistência repetindo após 07 dias. Monossulfiram é menos disponível, e só existe na forma de sabonete. Lindano e benzoato de benzila estão caindo em desuso, pela baixa eficácia e ocorrencia de efeitos colaterais.
  • É importante orientar que esses produtos tópicos devem ser aplicados sobre os cabelos secos (não como o uso habitual de um shampoo).
  • Tratamento sistêmico pode ser realizado com ivermectina 200mcg/kg para crianças que tenham mais que 15 kg (segurança do medicamente não foi avaliada em crianças menores). Dose única, ou pode ser repetida em 7 dias. A ivermectina está disponível na forma de comprimido de 6 mg, podendo ser usada em crianças com peso maior do que 15 kg. A orientação de posologia da bula do medicamento orienta o uso por faixas de peso corporal: ½ comprimido se peso corporal entre 15 e 24 kg, 1 comprimido para peso de 25- 35 kg, 1 e ½ para peso de 36 a 50 kg, 2 comprimidos par peso entre 51 e 65 kg, e 2 ½ comprimidos para peso >65 Kg.
  • O uso de pente fino para remoção das lêndeas é fundamental uma vez que os produtos não eliminam os ovos (seja no tratamento tópico ou sistêmico). Portanto essa etapa não pode ser pulada para o sucesso do tratamento e para evitar a auto-reinfestação. Para faciliar a retirada lêndeas, pode-se misturar vinagre a condicionador ou agua (a acidificação pelo vinagre ajuda a dissolver a gelatina da casca dos ovos).
  • É descrito o uso de pentes elétricos para remoção de lendeas, com resultados variados.